dicas

Quando ir: a região se organiza de acordo com suas águas: a cheia e a vazante. A cheia ocorre no inverno (estação das chuvas), de dezembro a maio. Nessa época, o rio chega a subir quase 30 metros, as praias desaparecem e a floresta é invadida pela água. Na cheia, fica mais difícil de observar animais, pois com mais água eles se espalham. Contrário a isso, na época da vazante, que vai de junho a novembro, o rio abaixa. Os animais que vivem no meio aquático se concentram numa área menos e as praias reaparecem. Nós já fomos nas duas épocas e realmente na vazante fica melhor para observar os animais. Só que é mais quente do que na época da cheia

 

 

Quanto tempo ficar: Manaus é longe, umas 4 horas e meia de voo partindo de S.Paulo. O deslocamento até o hotel é demorado, pois o aeroporto fica distante 25 km do centro da cidade (realizado somente por táxi ou por carro alugado). Nesses deslocamentos todos você perde mais da metade de um dia. Achamos que o ideal é programar uns cinco dias inteiros. Dessa forma, você ainda consegue conhecer Presidente Figueiredo, nem que seja um passeio de um dia.

Tipos de hospedagem: Em Manaus, prefira os hotéis centrais. Não recomendamos o Hostel da cidade. Era pequeno e o ar-condicionado não funcionava direito. Passe alguns dias nos hotéis de selva. Esses hotéis oferecem passeios diferentes, de contato com a natureza. Tivemos a oportunidade de ficar hospedados em dois hotéis de selva: o Pousada Amazônia e o Anavilhanas Lodge. Ainda fizemos uma visita ao Ariau Towers.

Alimentação: a culinária da Amazônia é muito diferente da nossa. Preparada a base de mandioca e peixes de rio, aproveite para experimentar iguarias peculiares. Os peixes mais consumidos são o pirarucu, tucunaré e tambaqui. Outro prato típico é o tacacá. As frutas também são exóticas. Experimente-as na forma de sorvete, naquele calorão caem muito bem vários sorvetes por dia. Muito consumido é o tucumã, uma fruta do tipo coquinho que fazem sanduiche com queijo coalho no café da manhã.

 

 

O que levar: roupas leves, camisetas de manga comprida e calça para a caminhada na mata (evita um pouco as picadas de inseto), roupa de banho, bonés, óculos escuros, lanterna, repelente, protetor solar

Vacina: necessária a dose da vacina contra a febre amarela. Procure um posto de saúde de seu município que eles aplicam gratuitamente

Infraestrutura: Manaus é capital de estado, uma cidade onde girou muita riqueza. Tem hospital, farmácia, linhas de ônibus, transporte de barco, táxis,  lojas de aluguel de carro, escolas, restaurantes, lojas e outras facilidades. Entretanto, o IBGE de 2000 indica que apenas 2,4% dos domicílios da região Norte são atendidos por rede de esgoto. Portanto, beba água mineral e evite consumir vegetais crus. Mesmo porque você dificilmente irá encontrar folhas como alface, rúcula e almeirão para consumir. Observe o preparo dos alimentos e se achar algo suspeito, não consuma.

 

 

Passeios:

·         Encontro das águas: realizado de barco diariamente, proporciona ao turista acompanhar por 6 km as águas do rio Negro e Solimões lado a lado. Dependendo do pacote de passeio que você pega, ainda inclui caminhada na mata, compra de artesanato indígena e almoço.

·         Teatro Municipal: uma construção luxuosa da época de ouro da extração da borracha. Merece fazer a visita guiada.

·         Mercado Municipal: a arquitetura é linda. Aproveite para ver os produtos da região a venda

·         Zona Franca de Manaus: comércio de eletrônicos livres de imposto, são uma boa alternativa de compra. Continua valendo o limite de U$2000,00 por pessoa

·         Nos hotéis de selva, obrigatório a focagem do jacaré, pesca de piranhas (as iscas são pedaços de carne!), observar o amanhecer, passeios de barco pelos igapós, trilha na mata, alimentação dos botos cor-de-rosa  e visita a Novo Airão. Não recomendo, mas se você quiser, pode contratar passeio de um dia nesses hotéis.



·         Passeio em Ponta Negra, a praia mais agitada da região. Mesmo na época da cheia, dá para aproveitar o visual.

·         Visita as cachoeiras de Presidente Figueiredo: são lindas e ficam próximas a Manaus



·         Comer as comidas típicas da região: tacacá, tucupi, sorvete de taperebá, pirarucu. Você até encontra no sudeste, mas tem que procurar muito. Aproveite a visita e ofereça novas informações para suas papilas gustativas

·         Andar de barco: esse meio de transporte é muitíssimo importante na região. Utilize-o sempre.

·         Visita a cidade de Novo Airão: a ideia de sustentabilidade sai do papel

·         Passeio pelo arquipélago das Anavilhanas: sentir a floresta sem sentir os mosquitos é bom demais! As paisagens são únicas e particulares



·         Ponte em construção que ligará Manaus e Iranduba: uma obra gigantesca ligando fisicamente as duas cidades vem facilitar o transporte viário que hoje é realizado por balsas. Hoje, a população enfrente de meia hora a quarenta minutos para atravessar o rio Negro. A duração da travessia pela ponte está sendo calculada em 5 minutos. Além disso, o projeto da ponte possui um trecho estaiado belíssimo. A previsão de entrega é no 1º semestre de 2011. Vai virar cartão postal, com certeza!

Compras: Além da Zona Franca, traga de recordação o artesanato regional. Existem trabalhos lindos, mas sempre verifique a procedência, pois podem tentar te vender gato por lebre.



Comments